[facebook]

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Últimos campeões da Copa Sul Americana tiveram equipes de baixo investimento

Por FLUnômeno —

  • 11:16

    Foto: Divulgação.
    Uma dúvida constante no torcedor do Fluminense será na possibilidade de ganhar o título da Copa Sul Americana! Afinal de contas, contamos com um elenco com pouco investimento, devido a política de diretoria de equalizar as dívidas. É certo que nossa equipe, com muitos garotos, é inexperiente, mas será que ela tem potencial para ganhar um título inédito no Fluminense Football Club?! Não posso afirmar que o Fluminense será o campeão da Copa Sul Americana, mas também creio que este título não depende apenas de um bom elenco para isso. A História mostra isso...

    Até o momento, a atual Copa Sul Americana teve 15 edições (não contando com a edição de 2017 e posteriores), tendo o Boca Juniors (Argentina) o maior campeão, com duas conquistas. Além deles, tivemos San Lorenzo (Argentina), Universidad Chile, LDU (Equador), Arsenal (Argentina), River Plate (Argentina), Independiente (Argentina), Pachuca (México), Lanús (Argentina), Cienciano (Peru) e Santa Fé (Colômbia) como campeões, além dos brasileiros Chapecoense (2016), Internacional (2008) e São Paulo (2012).

    Nos últimos cinco anos, os títulos acabaram ficando com Chapecoense (2016), Santa Fé (2015), River Plate (2014), Lanús (2013) e São Paulo (2012). Destes, apenas São Paulo e River Plate tem histórico nas Américas, mas não montaram um elenco de peso. O River Plate, por exemplo, vinha de um rebaixamento a série B da Argentina, conquistando o título um ano depois de voltar a elite do futebol do país vizinho.

    Lanús e Santa Fé não são times tão populares e competitivos (historicamente falando) em seus respectivos países, assim como a Chapecoense, que nunca foi campeã nacional, e na base da raça, chegando então na final da Copa Sul Americana 2016. Devido ao grave acidente sofrido com a delegação, em Novembro de 2016, o Atlético Nacional, outro finalista, abriu mão do título, que ficou para o time de Santa Catarina, e hoje conta com o título mais importante da história do clube alvi-verde.

    Para concluir: o elenco não pode ser dos melhores, mas se nossos jogadores colocarem o CORAÇÃO NA PONTA DA CHUTEIRA, eles podem acabar escrevendo seu nome na história do Fluminense. Eu já tinha falado aqui no blog em outra ocasião e volto a repetir: Henrique Dourado precisa marcar sua história no clube com um título, pois é bem possível que ele não continue no clube em 2018.

    E vocês, o que acham disso?! Deixe sua opinião nos comentários abaixo.