[facebook]

domingo, 30 de abril de 2017

Abel exalta tradição do Fluminense: "A coisa mais forte que temos aqui é esse escudo no nosso peito"

Por FLUnômeno —

  • 12:29

    Foto: Nelson Perez - Fluminense FC (Divulgação)
    Fluminense é um time de tradição. É simplesmente o Campeão Carioca do Século XX, e a partir de hoje, luta para voltar a ter sua hegemonia de títulos no Estadual. O adversário é nada mais nada menos que o Flamengo, derrotado na última decisão de Estadual, em 1995.

    O time de Abel possui a ausência de dois ótimos jogadores. Um deles é Gustavo Scarpa, que sofreu uma entrada dura no empate contra o Madureira, e por conta disso, está há dois messes fora do time. Outra ausência é Douglas, que além das dores musculares, tem risco de perder sua vaga para Wendel, que tem se saído muito bem nos jogos que atuou. O discurso do Fluminense de hoje é bem diferente de alguns anos atrás: hoje podemos perder jogadores importantes, mas o grupo não perde o todo por causa da falta daquele jogador. O próprio caso de Scarpa (nosso melhor jogador) comprova isso: mesmo fora, o Fluminense não mudou sua maneira de jogar, e tem alcançado os resultados. Nos tempos de Fred, a coisa era diferente! O Fluminense era um com Fred, e outro sem Fred, talvez porque vivia em razão individual de um único ou mais jogadores de potencial.

    "Temos um jogador que foi grande destaque no ano passado que foi o Scarpa. O Douglas outro jogador de nível muito alto. Estamos conseguindo superar isso sem a presença deles. Significa que não temos protagonismo, entendeu? A coisa mais forte que temos aqui é esse escudo no nosso peito. Isso é o nível máximo, para quem nos dedicamos, trabalhamos"

    Esperamos que esse grupo nos traga uma boa vantagem para o jogo da volta, pois este título significa muito para nós. Como clássico é clássico (e Fla-Flu é Fla-Flu) não podemos prever realmente quem poderá ganhar, mas torcemos para que o (bom time) montado por Abel Braga possa voltar a ter a mesma atuação contra o Flamengo na final da Taça Guanabara (ou ainda melhor), e nos fature este título, que não vem desde 2012.

    Fonte: Netflu